Dicas de saúde

14 de Novembro de 2012

Problema da má digestão

Uma parcela significativa da população brasileira sofre de problemas de má digestão. As causas estão geralmente nos hábitos alimentares, no stress e no estilo de vida. Para se ter uma avaliação correta do quadro, é de suma importância que se consulte um médico e que não se tome remédios por conta própria. Porém, sabe-se que, na grande maioria dos casos, as pessoas acabam se automedicando.

Estes medicamentos, disponíveis em farmácias, podem, num primeiro momento, aliviar os sintomas a curto prazo. No entanto, se eles forem mais intensos e voltarem com freqüência, isto mostra que o tratamento não está sendo suficiente.

Antes de ir ao médico, tente modificar seus hábitos. Caso o problema persista, é hora de procurá-lo. Aqui seguem algumas dicas para minimizar este tipo de problema através da mudança de hábitos:

1. Evitar excesso de comida ou alimentos pesados ou gordurosos é a regra número 1. Prefira refeições bem balanceadas, em horários regulares.

2. Não se deite no período de duas a três horas depois de ter feito a refeição.

3. Alimentos que prejudiquem a digestão devem ser evitados. Podemos listar, entre outros: carnes gordurosas, alimentos muito temperados, chocolate, café, suco de laranja, refrigerantes, bala de menta, etc...

4. Pare de fumar (este conselho vale não somente para a digestão, mas também para a saúde do organismo como um todo).

5. Tente chegar ao seu peso ideal de acordo com sua estatura e faixa etária.

6. Pratique exercícios físicos regularmente.

7. Evite roupas apertadas.

8. Durma de 7 a 8 horas por dia.

9. Seja mais sociável e comunicativo

Postado por: Ricardo

Tags: Estômago, Alimentação,

03 de Dezembro de 2012

Doença do Refluxo Gastroesofágico

A Doença do Refluxo Gastro Esofágico (DRGE) é a doença digestiva mais freqüente e acontece em até 50% da população. A DRGE se expressa clinicamente pela Pirose ("Azia"), Regurgitação ("golfada") e Disfagia ("dificuldade de engolir alimentos"). Porém, também existem condições atípicas da DRGE como dor torácica, asma, tosse crônica, rouquidão, problemas de cordas vocais e laringite. Cerca de 80% dos pacientes com DRGE são passíveis de tratamento clínico. O exame de endoscopia faz, geralmente, diagnóstico de complicação do refluxo (esofagite - eso= relativo ao esôfago/ite= relativo à inflamação). Entretanto, há outros exames como a Phmetria e a Manometria Esofágica, que indicam ou confirmam o diagnóstico da Doença do Refluxo Gastro Esofágico. A DRGE é uma condição que acompanha o doente toda a vida, com fases de melhora e de piora. Porém, 20% desses podem vir a necessitar de tratamento cirúrgico.
Hoje em dia, a operação é realizada por videolaparoscopia sem abrir o abdômen ou cortar o estômago e rápida recuperação. É praticamente uma cirurgia plástica intra-abdominal.

Postado por: Visualcom

Tags: Estômago, Doença,